ACOMPANHE ESSE BLOG DE PERTO!

17 de nov de 2011

Como Estimular a Visão do Bebê

Idade:  A Partir de 2 Meses

Ao nascer, o bebê é funcionalmente cego, apresentando apenas o reflexo da contração da pupila em presença da luz. Se adequadamente estimulado, ele logo chegará ao Estágio 2 da visão que é a percepção de sombras, silhuetas. Como nesse estágio o bebê só percebe sombras, quanto maior o contraste da figura com o fundo, mais fácil será para ele enxergar. E qual é o maior contraste que há? Preto no branco, claro. É por isso que selecionei essas imagens, todas em preto e branco.

Como Saber Se Meu Filho Já Enxerga Sombras?

É simples.  Basta observar se ele acompanha com o olhar, quando alguém se movimenta.
Se ele consegue , é sinal de que já encontra-se no Estágio 2. Já está pronto, portanto, para fazer os exercícios a seguir. Lembre-se porém, que a idade média em que os bebês chegam a esse estágio é 2,5 meses.

Como Proceder nas Sessões:

  1. Coloque o bebê numa posição confortável;
  2. Segure a imagem a uns 30 ou 40 cm de distância do rosto dele;
  3. Nomeie o cartão (ex; "cavalo!");
  4. Dê tempo para que o bebê localize o cartão; quando ele o fizer, repita o nome do cartão - "cavalo".
  5. Beije e abrace seu bebê.
Você pode usar as imagens desse "post" (clique para ampliar e imprimir). Mostre um cartão diferente a cada dia. Cada cartão deve ser mostrado de 3 a 5 vezes por dia. Dê um intervalo de pelo menos 30 minutos entre as sessões.
 Obs: Comece com as imagens mais simples (círculo, triângulo, quadrado) e deixe por último as mais complexas (zebra, xadrez, por exemplo). A mão, o cavalo e o gato apresentam grau intermediário de dificuldade.


Clique nas imagens para imprimi-las.












 

FONTE:  http://ensineseubebe.blogspot.com/2010/08/comoestimular-visao-do-bebe.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Muitas mudanças ocorreram nos últimos vinte anos, quando teve início a prática da Baixa Visão em nosso país. O oftalmologista brasileiro, porém, ainda não se conscientizou da responsabilidade que lhe cabe ao determinar se o paciente deve ou não receber um tratamento específico nessa área. Infelizmente, a grande maioria dos pacientes atendidos e tratados permanece sem orientação, convivendo, por muitos anos com uma condição de cegueira desnecessária." (VEITZMAN, 2000, p.3)

.
.

NÃO ESQUEÇA!....

NÃO ESQUEÇA!....

FONTES PARA PESQUISA

  • A VIDA DO BEBÊ - DR. RINALDO DE LAMARE
  • COLEÇÃO DE MANUAIS BÁSICOS CBO - CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA
  • DIDÁTICA: UMA HISTÓRIA REFLEXIVA -PROFª ANGÉLICA RUSSO
  • EDUCAÇÃO INFANTIL: Estratégias o Orientação Pedagógica para Educação de Crianças com Necessidades Educativas Visuais - MARILDA M. G. BRUNO
  • REVISTA BENJAMIN CONSTANT - INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT