ACOMPANHE ESSE BLOG DE PERTO!

16 de abr de 2012

kit estimulação visual

Aqui são algumas amostras de cartelas em auto contraste, pode escolher avulsas ou em kit.
Vou adorar trabalhar para você.
*_*





FONTE: http://rositaestimulacao.blogspot.com.br/2012/02/kit-estimulacao-visual.html

Mini livro da estimulação visual


 Opa!!!!
Me pegaram de surpresa!! rsrs
Em mais um momento de construção de um mini livro,
este destinado a Natália uma fisioterapeuta pra lá de especial.
Com ela também faço outras criações, como o kit caviv, mostrarei para vocês aqui.
 Ops!


Mas já está quase no fim! rsrs 
Breve postarei ele prontinho. 
bjs 
*_*




FONTE: http://rositaestimulacao.blogspot.com.br/2012/02/mini-livro-da-estimulacao-visual.html

Pet´s visual

Copinhos confeccionados a partir de garrafinhas pet, você estimula a parte visual de seus pacientes ou os pais corretamente orientados também podem estimular em casa.
Esses copinhos podem ser confeccionados em casa.
Basta ter em mãos :
* Garrafinhas de água de 500 ml cortadas ao meio.
* Durex colorido nas mesmas cores do papel celofane.
* Papel celofane nas cores:
*azul, 
*vermelho, 
*amarelo, 
* verde e ou laranja.
Assim acomodar o papel celofane dentro dos copinhos já cortados e passar o durex na borda para não soltar e a mesmo processo com a boca da garrafinha.
Então está feito, agora basta ter em mãos uma lanterna e estimular sua criança.

PS. ( Senhores pais, aconselho pedir orientação a um profissional capacitado para orientar adequadamente a estimulação, pois dependendo da criança e da patologia a estimulação com luz inadequadamente pode causar convulsão ) Obrigada. *_*

FONTE: http://rositaestimulacao.blogspot.com.br/2012/01/copinhos-confeccionados-partir-de.html

O PAPEL DA ESTIMULAÇÃO

Em nenhum outro período de sua existência os seres humanos experimentam um desenvolvimento tão intenso como nos primeiros anos de vida. Basta ver o salto que ocorre de 0 a 1 ano, quando os bebês começam a dar seus passos iniciais. Por isso, é importante não perder nenhuma oportunidade para participar desse crescimento, criando situações propícias e promovendo a estimulação. Eles têm necessidades específicas e características próprias que devem ser consideradas. No entanto, estimular bebês não é como ensinar crianças maiores. Os bebês aprendem de um modo muito diverso, principalmente pelos mecanismos da repetição, da imitação e da exploração sensorial, por meio do brincar. Exatamente por isso, os bebês podem atender a longos períodos de concentração desde que estejam envolvidos em algo de seu interesse. Os bebês crescem fisicamente, praticando exercícios motores; perceptivamente, desenvolvendo o pensamento e o conhecimento na solução de problemas; verbalmente, adquirindo comunicação receptiva e expressiva; psicologicamente, descobrindo sua própria identidade; socialmente, aprendendo a conviver com "amigos". Daí a importância do trabalho realizado no berçário. Nessa fase, é especialmente oportuno que os pais acompanhem o trabalho realizado pela escola, para que compreendam a extensão das atividades propostas.

O rolo possibilita a tonificação da musculatura dos braços e da musculatura dorsal do bebê, a fim de prepará-lo para o sentar.



Bolas na banheira – Trabalha-se o desenvolvimento da coordenação visual e motora, pois, para apanhar a bolinha dentro da água, o bebê necessita adequar o movimento a cada instante, uma vez que as bolas mexem-se constantemente.


Rolar é a primeira forma de deslocamento global do bebê, movimento que requer a integração da musculatura dos dois lados do corpo.


A Bola de Bobath possibilita o fortalecimento da musculatura dorsal e abdominal. Quando o bebê está sobre a bola, busca estabilidade e precisa ajustar-se a cada instante. Estes “ajustamentos” possibilitam a busca pelo equilíbrio corporal.


Cobertor – O “arrastar” sobre o cobertor possibilita o ajustamento do corpo na posição sentada, pois, quando o cobertor é puxado, o bebê contrai a musculatura necessária para manter-se em equilíbrio.


Lanterna - Usando a lanterna, pode-se explorar a coordenação visual e espacial, em que o bebê terá que acompanhar com os olhos o espaço por onde o ponto luminoso irá passar. O bebê tenta “pegar” o ponto de luz, o que possibilita também o trabalho de coordenação visual e motora.

FONTE: http://aprenderecia.blogspot.com.br/2008/06/o-papel-da-estimulao.html

Mais novidades na estimulação! *_*


Essas cartelas são de tamanho  mini de 15 de largura e 20 de altura, mais uma novidade, são cartelinhas mini, e outras novidade serão as cartelinhas de frutas, formas e animais em contraste ( fundo branco ) para avaliações. Adquira já as suas! *_*





Esse kit, minha gente, particularmente ficou uma fofura! *_* Batizei como régua visual, para estimulação visual. Experimentem!!! *_*





 Essa novidade ... são luvinhas confeccionadas em dupla face, em cores variadas, com carinha na frente e tecido contraste atrás... *_*


Esse kit minha gente, eu forneço para CAVIV, aqui em Fortaleza - Ce, onde moro, destinado a estimulação em casa, para pais e filhos, esse kit contém:

* Mini cartelas ( 15x20 cm ) contraste e coloridas ( 5 unid de cada )
* Par de luvas dupla face
* Pulseirinha com guizo
* Mamãe sacode metalizado
* Maracá
* Bolinha contraste
* Dupla de esponjinhas
* Um par de tapa olho
* Um par de mini chocalhos
* Uma régua visual ( com 08 cartelinhas)
* Um kit de pet´s visual colorido
* Uma lanterna recarregável
Num total de 12 itens + Malinha  (guarda material).

FONTE: http://rositabyrose.blogspot.com.br/2011/09/mais-novidades-na-estimulacao.html

Tecnologia Assistiva nas Escolas

Os its Brasil (Instituto de Tecnologia Social) e a Microsoft Educação questionam no projeto a inclusão social de pessoas com deficiência. O acesso à escola de alunos com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento já é uma realidade em nosso país, e a sua participação e aprendizagem exigem que se desloque o foco da “deficiência” para eliminação das barreiras que se interpõem às pessoas nos processos educacionais. Com este trabalho eles esperam contribuir com as escolas públicas e privadas, no sentido de fortalecer a filosofia educacional da não discriminação e da efetiva participação, que possibilitem o desenvolvimento das capacidades de todos os alunos, bem como sua inclusão social. Apresentaremos, a seguir, recursos de acessibilidade para a autonomia e inclusão educacional e sócio-digital da pessoa com deficiência.


Kit Luva
Painel em tecido, com bolsos em plástico transparente, utilizado para armazenar objetos que serão empregados nas atividades de estimulação sensorial, contendo:
*5 potes para estimulação gustativa (Ex.: doces, salgados e azedo);
*5 vidros para estimulação olfativa (Ex.: pó de café, temperos etc.);
�� 5 objetos para estimulação auditiva (Ex.: chocalho, guizo, apito etc.);
�� 5 objetos para estimulação visual (Ex.: lanterna, brinquedos com cores contrastantes e brilho);
�� 5 objetos para estimulação tátil (Ex.: esponja, lixa, massa de modelar etc.);


Tapete sensorial
Tapete com diferentes texturas, cores e sensação térmica, para estimulação sensorial. Podendo ser confeccionado com: EVA, estopa, feltro, cortiça,
tapete carrapicho, madeira, tecido plush, couro, manta acrílica etc;









Chocalho adaptado
Confeccionado com duas mini garrafas pet contendo objetos, como: contas, guizos, grãos. As garrafas podem ser unidas com
fita adesiva. Detalhe: elástico com velcro nas pontas para fixar junto ao corpo do aluno, estimulando a audição por meio do movimento e do som;







Jogo adaptado
O professor pode adaptar a brincadeira de bola o cesto, para crianças com dificuldade de coordenação motora, utilizando cano de PVC cortado como canaleta, tendo uma das extremidades um cesto e a outra fixada ou apoiada manualmente;








Livro adaptado
Livro de história, adaptado com fichas de comunicação, contendo imagens que substituem o texto, com objetivo de facilitar a compreensão e a interação do aluno. Além de ser um recurso para o trabalho com pessoas deficientes, este livro também pode ser utilizado por alunos que ainda não estão alfabetizados ou que apresentam dificuldades específicas de leitura;









Prancha de comunicação
Confeccionada em prancheta ou papelão, com figuras do PCS ou imagens reais, para facilitar a comunicação e expressão dos alunos durante as atividades;









Adaptador
para pintura
Confeccionado com cone de fio de
máquina de overlock, revestido em EVA;








Manoplas
O talher pode ser engrossado com manopla de bicicleta com peso. E, para fixar o talher na manopla, preencher o interior com mistura de pó de ferro e cola branca;







Contentor de alimentos
Em PVC, com hastes para fixar na borda do prato. O talher poderá ser fixado com velcro na mão do aluno, caso o mesmo tenha dificuldade em mantê-lo;





Avental prático
Confeccionado com tecido atoalhado,
forrado com plástico ou tecido impermeável, para evitar o acúmulo de resíduos alimentares e salivas no vestuário do aluno;











Máscara para teclado
Confeccionada em EVA e cola de contato, deixando exposto somente as teclas que serão utilizadas;










Cadeira adaptada para transporte
Confeccionada com estrutura de madeira, forrada com espuma, revestida com tecido impermeável e cinto de segurança.
Se necessário utilizar outras adaptações para segurança e posicionamento adequado do aluno, durante o transporte;









É importante ressaltar que não existem receitas prontas para atender a cada necessidade educacional especial. A escola, além das orientações compartilhadas, deve buscar informações e orientações que ampliem as possibilidades, para que todos os alunos encontrem um ambiente adequado e acessível.

FONTE: http://projetordesonho.blogspot.com.br/2011/08/tecnologia-assistiva-nas-escolas_02.html

Caixa de estimulação sensorial

 Veja só que diversão as crianças entram nessa caixa gigante e desenvolvem muitas atividades,caixa de papelão que iria para o lixo , dentro da caixa tem um tapete sensorial feito de barbante e com círculos recortados de várias texturas de tecido de ponta a ponta, temos a meia calça colorida que esconde e encontra objetos, a porta de elástico para passar e nessas outras aberturas geométricas colocaremos fitas para tampar.Tem mais em cima tem uma tampa de papelão que você podera utilizar mais escuro brincando com lanterna, isso é estimulação visual.




Isso tudo iria para o lixo mas a necessidade e a criatividade fez a realidade de existir um brinquedo totalmente especial para nossos alunos . 
FONTE: http://babaluespecial.blogspot.com.br/2011/10/caixa-de-estimulacao-sensorial.html
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Muitas mudanças ocorreram nos últimos vinte anos, quando teve início a prática da Baixa Visão em nosso país. O oftalmologista brasileiro, porém, ainda não se conscientizou da responsabilidade que lhe cabe ao determinar se o paciente deve ou não receber um tratamento específico nessa área. Infelizmente, a grande maioria dos pacientes atendidos e tratados permanece sem orientação, convivendo, por muitos anos com uma condição de cegueira desnecessária." (VEITZMAN, 2000, p.3)

.
.

NÃO ESQUEÇA!....

NÃO ESQUEÇA!....

FONTES PARA PESQUISA

  • A VIDA DO BEBÊ - DR. RINALDO DE LAMARE
  • COLEÇÃO DE MANUAIS BÁSICOS CBO - CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA
  • DIDÁTICA: UMA HISTÓRIA REFLEXIVA -PROFª ANGÉLICA RUSSO
  • EDUCAÇÃO INFANTIL: Estratégias o Orientação Pedagógica para Educação de Crianças com Necessidades Educativas Visuais - MARILDA M. G. BRUNO
  • REVISTA BENJAMIN CONSTANT - INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT